Skip to main content

Modelagem de dados

Modelagem de dados é o processo pelo qual elementos de dados chegam no seu aplicativo em um formato que faz sentido para sua empresa e são então processados, relatados e armazenados. O modelo de dados define os tipos e estruturas de dados no seu aplicativo e padroniza a maneira como elementos de dados relacionam-se entre si. Modelos de dados também são ferramentas críticas para comunicação entre stakeholders da empresa que definem requisitos para os dados necessários e criados por processos de negócios, e os arquitetos de sistemas que agem sobre os requisitos para criar o aplicativo. 

Por exemplo, seu modelo de dados pode representar os dados utilizados pelo seu aplicativo para recuperar dados sobre livros-texto. O aplicativo passa os ISBNs dos livros para um serviço que retorna uma lista de títulos e edições, e depois formata os resultados para que representantes de vendas possam processar os pedidos utilizando os títulos e alternar facilmente entre edições. Se você importa dados para o seu tipo de dados de Livros-texto (Textbooks) regularmente, é possível definir um mapeamento padrão entre o campo ISBN em um arquivo .csv e um campo ISBN no seu tipo de dados.

Você precisa dos seguintes componentes para modelar dados:

  • Campos (Fields): propriedades que armazenam e formatam dados no seu aplicativo
  • Objetos de dados (Data objects): categorias de dados com campos, mapeamentos de campos e conexões com fontes de dados

Na imagem a seguir, clique nos ícones de + para saber mais sobre cada componente do modelo de dados. 

Nota:  É possível visualizar o modelo de dados do seu aplicativo inteiro no painel de navegação do App Studio clicando em Data > Data model > View. Você também pode visualizar o modelo de dados de um tipo de caso específico a partir do ciclo de vida do caso clicando em Data model > View data model.

Armazenamento de dados

Dados de processamento de casos suplementares frequentemente existem fora dos objetos de dados, tais como preferências do usuário inseridas durante o processamento do caso que influencia o ciclo de vida do caso. O sistema precisa conhecer um local para armazenar esses dados. É uma melhor prática criar uma classe de dados com o mesmo nome que o tipo de caso para armazenar dados que não são encontrados em objetos de dados, ao invés de armazená-los no objeto de trabalho, como um caso.

Por exemplo, um usuário do tipo de caso Reserva da biblioteca (LibraryReservation) tem as informações dos frequentadores armazenadas no objeto de dados Frequentador (Patron), incluindo nome, endereço de e-mail, número de telefone e número do cartão da biblioteca. Durante o processamento do caso, ele tem a escolha de habilitar a assistência por áudio para um processo de reserva. O desenvolvedor do aplicativa armazena os dados de valor único dessa seleção booleana em um objeto de dados com o mesmo nome que o tipo de caso, neste caso, Reserva da biblioteca.

Considere, como analogia, um trem que transporta contêineres como o objeto de trabalho. Os contêineres representam dados de processamento de casos suplementares que não pertencem a um objeto de dados. Você deseja mover esses dados e compartilhá-los, mas não poderá fazer isso se eles estiverem salvos dentro do objeto de trabalho. Para maximizar o reaproveitamento e a portabilidade, salve dados que não existem em um objeto de dados em uma classe de dados com o mesmo nome que o tipo de caso ao qual está associada, tal como Reserva da biblioteca.

Na imagem a seguir, clique nos ícones de + para saber mais sobre como armazenar dados que existem fora de objetos de dados.

Melhores práticas de modelagem de dados

Um desenvolvedor deve verificar o modelo de dados com um Arquiteto-chefe de sistemas (Lead System Architect) antes de criar objetos ou propriedades de dados. Estabelecer o modelo de dados antes de criar e trabalhar com dados economiza tempo de desenvolvimento futuro e minimiza o volume de erros que podem afetar o desempenho do aplicativo. 

Adição de dados por meio de uma visualização de IU

Apesar de ser possível criar porções do seu modelo de dados ao criar uma visualização, os desenvolvedores podem perder o panorama de como os dados podem interagir e ser reaproveitados em diferentes componentes do aplicativo. É uma melhor prática criar o modelo de dados utilizando o Explorador de Dados (Data Explorer) primeiro, mantendo o reaproveitamento e a herança em mente.

Você pode utilizar a tela Configure a view (Configurar uma visualização) para adicionar novos campos conforme necessário ao longo do ciclo de vida de atualização do aplicativo. Por exemplo, o modelo de dados do seu aplicativo inclui um objeto de dados reutilizável chamado Cliente (Customer) que agrega informações do cliente tais como Nome (First Name), Sobrenome (Last Name) e Endereço (Address). Para um lançamento de patch, especificações exigem que o aplicativo colete o número da conta do cliente. Você pode preferir adicionar esse campo na tela Configure a view.

No centro da imagem a seguir, deslize a linha vertical para mostrar a diferença entre adicionar um campo através da tela Configure a view e da tela Data model (Modelo de dados).

Verifique o seu conhecimento com a seguinte interação:


This Topic is available in the following Module:

If you are having problems with your training, please review the Pega Academy Support FAQs.

Este conteúdo foi útil?

20% acharam esse conteúdo útil

Quer nos ajudar a melhorar esse conteúdo?

We'd prefer it if you saw us at our best.

Pega Academy has detected you are using a browser which may prevent you from experiencing the site as intended. To improve your experience, please update your browser.

Close Deprecation Notice